Friday, November 21, 2014

A cancela vermelha / The red gate

Conforme escrevi no meu post anterior, vícios velhos custam a morrer...
As I wrote in my previous post, old habits die hard...
Papel Fabriano Artistico cold pressed 18x12,5cm - 300g/m2 (7"x 5" – 140lb)

Friday, November 14, 2014

Ainda os cadernos / Still on sketchbooks


Muito tempo sem publicar aqui nada não significa inactividade, antes o oposto; Os dias vão sendo passados entre cadernos, cada qual com o seu formato e tipo de papel. Com tantos à disposição, não consegui ter ainda nenhum acabado, já que vou mudando deste para aquele conforme me apetece. De permeio, alguns projectos novos e aliciantes, e porque vícios velhos custam a morrer, uma ocasional pincelada num trabalho mais “tradicional” que assim aos poucos também vai tomando forma; Tudo somado, é mais do que suficiente para que por estes lados o aborrecimento ande a bater à porta errada...
No que aos cadernos diz respeito, algumas constantes flutuam neste mar de diversidade: Os materiais utilizados têm sido sempre os mesmos: Lápis, aguarela e pincel de água, ainda que mais do que um tipo ou marca em cada um deles; A temática, ao invés de se alargar tem vindo a estreitar-se, cada vez mais focada nas paisagens de montanha, tendencialmente mais desprovidas do elemento humano, sendo definitivamente o assunto que mais me apraz representar no papel. Esta “estreiteza” é, contudo, apenas aparente, uma vez que uma vida não seria suficiente para tudo o que de visualmente fascinante estes lugares, com as suas texturas, horizontes e complexidades, têm para oferecer.
Por último, e ainda que com um longo caminho para percorrer, o descomprometimento de toda esta prática tem-me permitido também cumprir o velho objectivo de me libertar da tendência para o detalhe excessivo, rumo a um traço e pincelada o mais soltos e espontâneos quanto possível: Os olhos e paciência agradecem, o relógio também, e a diversão é assegurada.
Lots of time without a post doesn't mean lack of activity, it's actually the opposite; Days are spent around sketchbooks, each one with its own shape and paper type. With so many available, I haven't managed to have a single one finished, as I move from one to other according to my mood. In between, some new and exciting projects and, because old habits die hard, an occasional brushstroke in a more “traditional” work which is shaping up little by little. All things considered, it's more than enough to say that boredom has been knocking on the wrong door around here... 
Regarding notebooks, a few constants are floating in this sea of diversity: The materials have always been the same: Pencil, watercolor and waterbrush, more than one type or manufacturer for each of them; The subject, instead of being enlarged, has been narrowed, increasingly focused on mountain landscapes, tendentiously devoid of the human element, this being definitely what I most like to put on paper. This “narrowness” is, however, only apparent, considering that a lifetime wouldn't be enough for all the visually fascination these places, with their horizons, textures and complexities, have to offer. 
To finish, and still with a long way to go, this uncompromised practice has allowed me to meet the old goal of liberating myself from a tencency for excessive details towards a trace as loose and spontaneous as possible. My eyes and patience will be thankful, as well as the clock, and fun is guaranteed.

Friday, August 1, 2014

Os meus cadernos / My sketchbooks

Não sou por natureza um experimentalista: Sempre que me sinto confortável com uma forma de trabalhar, tenho tendência a explorá-la até que a mesma esteja totalmente esgotada, seja porque se tornou maçadora, porque a “fórmula” já não traz novidade, ou então porque a capacidade visual, diminuída pelo declínio próprio da idade, torna de repente cansativo o que até aí era ágil. No caso das pequenas aguarelas que deram o nome a este blogue, tem vindo a acontecer um pouco a soma de tudo isso, acrescida de recentes mudanças que subtraem à vida diária uma substancial fatia de tempo e não raramente de energia; Não é preciso muito mais para se perceber que vai sendo mais do que altura para procurar novos caminhos...
I´m not an experimentalist by nature: If I feel comfortable with a working method, my tendency is to explore it until it gets completely drained, either because it became boring, because the formula is no longer bringing anything new, or simply because the eyesight decline, due to age, suddenly transforms agility into tiredness. In the case of the small watercolors that gave their name to this blog, a mix of all of this has been happening, increased by recent changes that subtract a good slice of time and energy to the daily life; It doesn't take too much to understand that it is about time to start looking for new ways...
Assim, encontrando-me desde há vários meses nesse lugar inquietante que é o espaço entre o fim de um projecto e o começo de outro que não sabemos quando e como vai ser, tenho vindo a manter-me activo com a libertadora experiência de desenhar e pintar em cadernos, sem outro objectivo que não seja o prazer de o fazer. Com esta prática descomprometida, não só não se perde o treino, como ainda se liberta a mão, algo enferrujada após anos seguidos a fazer sempre o mesmo tipo de coisa.
Um caderno de desenho é um objecto magnífico: Bonito e convidativo enquanto novo e cheio de páginas por estrear, e um poderoso avivador de memórias quando preenchido e, não raro, sujo e gasto. Descobri o prazer de me ver rodeado deles, mesmo se alguns, por esta ou aquela razão, vão perdendo o fôlego a menos de meio do seu percurso, mas o facto de isso não ter importância nenhuma só reforça ainda mais a sua... importância.
Actualmente, o tempero dos meus dias é composto de vários cadernos em formatos, papéis e finalidades diversas. Aqui passo a descrever os mais significativos:
So, being myself for several months in this disquieting place that is the gap between the end of a project and the beginning of a new one which I do not know when and how it will be, I've been keeping myself active with the liberating experience of drawing and painting in sketchbooks, with no other goal than the pleasure of doing so. With this uncompromising practice, not only I can keep my training as I can set my hand free, after many years doing always the same kind of stuff.
A sketchbook is a magnificent object: Beautiful and inviting while new with plenty of pages waiting to be filled, and a powerful memory enlightener when finished, not seldom dirty and worn. I found the pleasure of being surrounded by them, even if for some reason a few of those will get “out of breath” in less than half of their way, but the fact that this doesn't have any importance only reinforces their... importance.
Currently, my days are seasoned by a handfull of sketchbooks in several shapes, papers and purposes. Here are the most significant:
Como a minha rotina se divide entre dois lugares separados entre si por pouco mais de meia centena de quilómetros, tenho sempre em cada um deles um caderno para as minhas paisagens imaginárias, velha paixão que assim transponho dos “esboços do dia”, agora quase sempre acrescidos da côr, mas sem o antigo propósito, por vezes condicionante, de cada um deles dever ser um potencial candidato a uma posterior aguarela. São apenas esboços que como tal nascem e como tal morrem, por vezes inacabados, e sem importar para nada a qualidade final.
Since my daily routine is split between two places separated by a few more than half hundred quilometres, I keep a sketchbook in each of them for my imaginary landscapes, the old passion transposed from my “Today's sketches”, now mostly with the addition of color, and free from the old purpose, sometimes restricting, of being eventual candidates for subsequent watercolors; They're just sketches, and as sketches they shall born and die, sometimes unfinished, no matter how good they turn out in the end.
Tenho também um diário gráfico que me acompanha para todo o lado, no qual vou registando os poucos acontecimentos que teimam em ter lugar na minha insignificante e estagnada existência, e que na sua maioria se resumem a uma planta que floriu, um fruto que caiu da árvore ou uma qualquer proeza dos meus incontáveis amigos felinos. Esta tem vindo, contudo, a revelar-se para mim a mais útil das ferramentas, uma vez que me vai permitindo praticar o desenho ao vivo, algo que não tinha o hábito de fazer. Tem sido uma fonte inesgotável e estimulante de descoberta e aprendizagem, e compreendo agora porque a prática do diário gráfico é tão vivamente aconselhada e recomendada, mesmo para quem acha que não sabe de todo desenhar: Estes descobrirão com surpresa uma aptidão até aí adormecida, ao passo que aqueles que achavam que já sabiam qualquer coisa chegarão à conclusão de que afinal não sabem é coisa nenhuma... como aconteceu no meu caso!
Apesar do meu diário gráfico já ir no “segundo volume”, sem conter nada de especialmente íntimo ou pessoal, e não obstante a imagem acima colocada para efeitos demonstrativos, por enquanto não me sinto inclinado a partilhá-lo.
There's also a sketch journal I carry everywhere, in which I record the few events that insist to take place in my insignificant and stagnated existence, mostly consisting in a plant that came to flower, a fruit fallen from its tree, or some feat by my countless feline friends. This has been, however, the most useful of all tools, as it allows me to practice drawing from life, something I never used to do. It's been a never ending and stimulating source of learning and discovery, and I understand now why keeping a sketch journal is so hightly recommended, even for those who think they can't draw a line: These will be surprised to find quite a few asleep skills, while others that thought they knew a thing or two will conclude that they didn't know anything after all... as happened to me.
Despite my journal is now in its “second volume”, without any excessively intimate or personal content, and with the page shown above for demonstration purposes as an exception, I don't feel inclined to share it for the moment.

E por último, o caderno mais especial e apetecido, o mais precioso e aguardado: O caderno das “saídas de campo”, para desenhar ao vivo nos locais inspiradores que me aguardam por esses montes e aldeias fora. Ok: A verdade é que ainda nem sequer o tenho comigo, pois fiz questão de encomendar um dos melhores para o efeito. Mas mesmo que já o tivesse, estaria vazio à mesma, dada a escassez de oportunidades para o usar uma vez que, excepção feita ao movimento pendular acima descrito, nos tempos que correm me é extremamente difícil viajar para onde quer que seja, mesmo localmente. Mas a vontade é muito forte, tão forte que alguma coisa se há-de arranjar, nem que seja por umas tardes dispersas.
And to finish, the most special and wanted of all sketchbooks, the most precious and awaited: The one for the outdoor excursions, to draw from life in the inspiring places that wait for me in those mountains and villages. Ok: The truth is that I still do not have it with me, as I insisted in ordering one of the best for this purpose. But even if I had, it would be blank as well, due to the scarcity of chances to use it as, apart from my commuting jouneys, currently it's very difficult for me to travel, even locally. But the desire is strong, so strong that something may be arranged, even if only for a few scattered afternoons.

Wednesday, May 21, 2014

Duas casas de aldeia - Conclusão / Two rustic cottages - Conclusion.


Aqui temos finalmente o trabalho terminado com o completar da calçada, o caótico monte de ramos e folhas em primeiro plano e as “partes aéreas”, que é como quem diz a ramada e respectiva estrutura.
Estas duas casas contíguas, exemplares típicos da bela arquitectura das aldeias de montanha do Alto Minho, situam-se na aldeia do Lindoso, mais conhecida pelo seu castelo medieval a cujos pés se espraia um notável conjunto de cinquenta espigueiros em granito. Não obstante toda essa monumentalidade, a minha preferência pessoal vai antes para as suas estreitas e sossegadas ruas cobertas de vinha, fontes inesgotáveis de inspiração, onde a cada esquina há detalhes que surpreendem.
Here we have finally the finished work, after completing the cobbled pavement, the messy pile of twigs and leaves in the foreground, and all the suspended vines and their holding structure. 
These two adjoining houses, a typical example of the beautiful architecture of the mountain villages in high Minho, are located in the village of Lindoso, best known for its medieval castle at whose feet a remarquable set of fifty granite corncribs gets spreaded. Despite all that monumentality, my personal preference goes to its narrow and quiet streets covered with vine, a never ending source of inspiration that hides surprising details at every corner.

Thursday, April 17, 2014

Duas casas de aldeia - Sessão 10 / Two rustic cottages - Session 10


Com o finalizar da escadaria, o respectivo gradeamento e alguma da vegetação encostada às fachadas, as casas que dão nome ao trabalho estão prontas; A etapa que se segue será a vetusta calçada pela qual a elas se acede...
After finishing the granite staircase, its railing and some vegetation leaning against the walls, the houses that give name to this work are ready; The following step will be the old cobblestones that give access to them...

Monday, January 20, 2014

Ausência / Absence


 Impossibilitado de publicar os meus trabalhos por não os poder digitalizar. O meu computador finou-se no final do ano passado e vi-me obrigado a substituí-lo; PC novo significa sistema operativo novo, o que por sua vez significa incompatibilidade com periféricos antigos, incluindo o meu velho, leal, arranhado mas fiável scanner. (Afinal, os fabricantes de equipamentos têm que continuar a vender, verdade? São essas as regras do tal “mercado” que nos traz felizes dia após dia...)
Arranjei de empréstimo um desses “multifunções” impressora/scanner/copiadora/polidor de sapatos e sabe-se-lá-que-mais, supostamente mais actual do que o meu simples scanner de mesa, mas nem por sombras tão simples de usar, e com resultados tão desapontadores como acima se vê (clicar para ampliar e comparar com imagens anteriores...). Continuar a utilizá-lo está fora de questão.
Assim, queiram ter paciência enquanto procuro solução para este impasse, em busca de um equipamento no mínimo tão bom como o antigo, e não hesitem em recomendar-me algum que seja do vosso conhecimento... Estarei a pintar, entretanto.
 Unable to post my works because can't scan them. My computer died by the end of the year and I've been forced to replace it. New PC means new operating system, which means not compatible with older devices, including my old, scratched but loyal and reliable scanner. (Device makers need to keep selling after all, right? Those are the “market” rules that keep us so happy day after day...)
Borrowed one of those “all-in-one” printer/scanner/copy/fax/shoe polisher and whatever else, supposedly more up-to-date than my simple flatbed scanner, but by no means as easy to use, and with results as disappointing as seen above (click to enlarge and compare with previous pics...). Out of question to keep using it. 
So please be patient while I figure a solution for this dead-lock, in search of an affordable equipment at least as good as my old one, and feel free to recommend me some that you may have knowledge... I'll be painting meanwhile.

Tuesday, October 1, 2013

Tuesday, May 28, 2013

Friday, March 29, 2013

Duas casas de aldeia - Sessão 9 / Two rustic cottages - Session 9 -


Os títulos dos posts desta série são enganadores. Entre cada um deles não existe uma “sessão” propriamente dita, mas antes o conjunto de várias “micro-sessões”, muitas vezes de escasso quarto de hora ou pouco mais, que é tudo aquilo que se pode arranjar por estes dias.
Dito isto, está praticamente completo o trabalhar das belas fachadas em pedra, durante o qual comecei a sentir umas estranhas “cócegas” que mais não eram do que o súbito desejo de avançar com um trabalho dos mais pequeninos, contrariando assim a intenção expressa no anterior post desta série... Enfim, este voltar com a palavra atrás confirma de forma inequívoca a minha vocação para integrar o governo do meu país.
The titles of the posts in this series are misleading. Between each of them there is not an actual single "session", but rather the set of several "micro-sessions", often no more than some scarce fifteen minutes or so, which is all that I can get these days. 
That said, the beautiful stone facades are virtually completed, a task during which I began to feel some strange "tickle" that was nothing more than the sudden desire to move into a new smaller work, contrary to the intention expressed in this serie's previous post... What shall I say? This renegation of my own word unequivocally confirms my vocation to join my country's government.

Wednesday, February 20, 2013

Duas casas de aldeia - sessão 8 / Two rustic cottages - Session 8


Há já algum tempo que este trabalho estava parado. Uma destas noites, tendo acabado uma aguarela das mais pequenas resolvi, em vez de começar outra, adiantá-lo um pouco mais. A verdade é que passei um bocado bastante agradável, e tenho desde então andado às voltas com ele com a ideia de o levar até ao fim sem interrupções.
This work was dormant for some time now. One of these evenings, having finished one of the smaller watercolors, I decided to give it a little advance instead of starting a new one. The truth is that I spent a quite pleasant time, so I've been around it since, with the intention to take it to the end without interruptions.

Sunday, January 27, 2013