Saturday, May 30, 2015

Porto - São Bento


A estação vista desde o início da rua de Sá da Bandeira.
The railway station as seen from the entrance of Sá da Bandeira street.

Friday, May 29, 2015

Subúrbios / Suburbs


Subúrbios são arrabaldes periféricos situados nos arredores.
Suburbs are peripheral outskirts located in the surroundings.

Thursday, May 28, 2015

Ruas ao acaso / Random streetscapes


Rua dos Chãos
(Com muita chuva / With lots of rain)

Campo Novo
(Com pouca chuva / With fewer rain)

Tuesday, May 26, 2015

Da suburbanidade / On suburbanism


Pergunta: Num território marcado pela riqueza monumental e paisagística, a opção pelo não-sítio anónimo e suburbano, expurgado de singularidade, sem outra identidade senão aquela que lhe é outorgada pela toponímia, é fruto de intencionalidade exploratória no contexto de um paradigma místico-estético que hipoteticamente lhe será transversal, ou resultará, em contrapartida, da premência em atender ao basilar e compulsório apelo do desenho enquanto acto intrínseco, o impulso do momento que clama pela saciedade independentemente do lugar, adquirindo corpo e expressão numa duplicidade forma/conteúdo em que sobressai a primazia da primeira sobre a segunda?
Resposta: A margarina foi descoberta em 1813.
Question: In a territory notorious for its monumental and scenic richness, the option for the annonymous and suburban non-site, purged of uniqueness, with no other identity but the one that it is granted by toponymy, is the fruit of an exploratory intentionality in the context of a mystical-aesthetic paradygm that is hipothethically transversal to it, or does it come, otherwise, from the urgency in meeting the basic and compulsory appeal of drawing as an intrinsic act, the impulse of the moment that claims for its satiety, acquiring body and expression in a form/content duplicity on which the first takes its primacy over the second? 
Answer: Margerine was discovered in 1813.

Monday, May 25, 2015

Porto - Avenida da Boavista


Bons tempos, não tão distantes assim, em que se podia apanhar o eléctrico na paragem do “relógio”, onde avenida e rotunda se juntam, e seguir cinco quilómetros em linha recta até ao mar, a uma velocidade improvável para um veículo com quase cem anos feito de madeira e latão.
Good times, not that far, when one could catch the tram in the stop where roundabout and avenue get together, and ride five quilometres straight to the seaside, at an unlikely speed for an almost hundred years old vehicle, made of wood and brass.

Saturday, May 23, 2015

Conde de Agrolongo


Numa daquelas pressas de hora de almoço, esboço rápido do edifício do Lar que partilha o nome com a praça onde se situa, mais conhecida no entanto como “Campo da Vinha”
In one of those lunch time rushes, a quick sketch of the nursing home that shares its name with the square where it is located, yet this last being best known as “Campo da Vinha” (Grapevine's field).

Friday, May 22, 2015

Thursday, May 21, 2015

Levada


Um lugar nas serranias do concelho de Terras de Bouro, tão pequeno que nem chega a ser aldeia, mas que me deu muito trabalho para fraco resultado.
A place in the mountains of Terras de Bouro municipality, too tiny even to be called a village, but pretty hard to sketch for such lousy result.

Tuesday, May 19, 2015

Confeiteira


Um arrabalde de Braga que já foi mais rural do que é hoje.
An outskirt of Braga that has been more rural than it is today.

Saturday, May 16, 2015

Árvore industrial / Industrial tree


Uma zona industrial não é exactamente o primeiro sítio que escolheria para fazer um desenho, mas tinha que me entreter de alguma maneira enquanto o meu carro sofria uma pequena reparação. Foi também a oportunidade de satisfazer uma curiosidade que desde há tempos tenho vindo a experimentar: A de desenhar lugares “feios”, “improváveis” ou “sem assunto”, experiência à qual tenho dado continuidade com resultados interessantes a publicar mais lá para a frente.
Entretanto, tendo o serviço ficado pronto no tempo previsto, já nem deu para acabar as sombras da pobre árvore que era o foco principal do desenho, um desolado resquício de vida natural numa ilha de cimento rodeada de trânsito, armazéns, oficinas e stands de automóveis.
An industrial area wouldn't be the first place I would choose to sketch, but had to entertain myself while my car was having a small repair. It was also the chance to try something I was curious about for a while: Sketching “ugly”, “unlikely” or “pointless” places, something I've been doing since then, with interesting results to be shown onwards. 
Meanwhile, with the repair done within expected time, I was uunable to finish the shadows of the poor tree that was the main focus of the sketch, a desolated remaining of natural life in a concrete island surrounded by traffic, wharehouses, repair and car shops.

Thursday, May 14, 2015

Montes e nuvens / Mountains and clouds


Montes fictícios e nuvens imaginárias.
Ficticious mountains and imaginary clouds.

Wednesday, May 13, 2015

Duas vistas de Germil / Two views of Germil



Sempre que aqui passo não resisto a parar e dar uma volta, por pequena que seja. Nestas ruas e ruelas, em boa parte refrescadas pelas vinhas que as cobrem, podem ver-se belos exemplares da arquitectura vernacular desta região, entre casas, espigueiros e demais construções de apoio à vida destas paragens, de uma dureza que a amabilidade dos residentes não deixa adivinhar. A curta distância, encontra-se também um miradouro, uma cascata e diversos trilhos pedestres. Algumas das casas foram recuperadas sem descaracterizar, estando disponíveis para serem alugadas: Não me importava nada de fazer um retiro numa delas e passar aqui um bom par de semanas, desligado de tudo, apenas a desenhar e pintar... É algo que quero fazer um dia!
Everytime I pass here, can't resist to stop for a stroll, even if a little one. In these streets and alleys, many of them refreshed by suspended grapevines, beautiful examples of the local vernacular architecture can be seen, may them be houses, corncribs or other constructions that support the hardness of life around here, which can't be guessed by the kindness of the inhabitants. In a short walking distance, a waterfall and a viewpoint can be found, as well as a few hiking trails. Some houses have been restored without destroying their caracther, being available for renting: I wouldn't mind at all to make a retreat in one of them and spend a couple of weeks here, disconnected from everything, just painting and sketching... It's something I want to do one day!

Monday, May 11, 2015

Estrada para Germil / Road to Germil


Germil é uma belíssima aldeia na encosta da Serra Amarela à qual se acede, pelo lado de Ponte da Barca, por uma estrada imprópria para cardíacos: Estreita e serpenteante, insinuando abismos a cada curva, vai ascendendo por entre paisagens de cortar a respiração. A Primavera, quando as urzes tingem a montanha de um rosa vivo, é das melhores alturas para a percorrer. Iluminado por um belo dia de sol, o último troço já na aproximação à aldeia, quando as agrestes e coloridas encostas se entremeiam com prados em socalcos, ribeiros e carvalhais, deverá ser aquilo que mais se assemelha com a chegada ao Paraíso... Ou talvez ele se situe aqui mesmo, pois tendo já feito igual jornada em intempestiva manhã de Outono, não foi menor o “choque de beleza”.
Nada disso consegui transmitir neste incapaz desenho feito ainda a meio do percurso, num dos escassos pontos em que é possível encostar o carro para sair. Mas que interessa isso se o que realmente importou foi respirar aqueles ares e vivenciar a paisagem enquanto ela se esforçava para caber no papel?
Germil is a gorgeous little village in the slope of the Amarela mountains, accessible, from the Ponte da Barca side, through a road not for the faint-hearted: Narrowly winding, hinting depths at each curve, ascends among a breathtaking scenery. Spring, when the heathers paint the mountain with its lively pink, is one of the best times to cross it. Under a beautiful sunlight, the last stretch before approaching the village, when the wild and colorful slopes get mixed with terraced meadows, streams and oak woods, may be what most closely resembles the arrival to Heaven... Or maybe Heaven is just there, as having made such same journey in a stormy Autumn morning, the “beauty shock” wasn't minor. 
Nothing of that could I express in this uncapable sketch, still made in the middle of the traject in one of the scarce points where it's possible to pull over and get out of the car. But does that really matter if the most important was to breathe that air, and experience the landscape during its efforts to fit into the paper?

Saturday, May 9, 2015

As traseiras... / The rear...


...da Sé, vistas da rua do Forno.
...of the Cathedral, as seen from Forno street.

Thursday, May 7, 2015

Largo do Barão de S. Martinho


Feito numa pressa em plena hora de almoço. Gostei do resultado. Às vezes pensar demais só complica...
Done in a rush during lunch time. I liked the result. Sometimes thinking too much only complicates...

Tuesday, May 5, 2015

Monday, May 4, 2015

O fim do Inverno / The end of Winter


Lugar imaginário (Tal como a Primavera por estes dias...)
Imaginary place (Just like Spring these last few days...)

Sunday, May 3, 2015

Um sítio especial / A special place



Desde criança que adoro este lugar, e se vir aqui continua a ser especial, vir aqui para desenhar é especialíssimo. Podia-se passar um par de anos a fazê-lo sem nunca repetir os motivos.
I love this place since child, and if coming here remains special, coming here to sketch is beyond special. One could spend a couple of years doing it, without ever repeating the subjects

Friday, May 1, 2015

Largo de S. Francisco


Um local sempre animado no centro da cidade. A igreja à esquerda é aquela cujo interior desenhei.
An always lively place in the city centre. The church at left is the one whose interior I sketched.